15º Plenária da Executiva Nacional da UGT.


Com a participação de representantes de todas as estaduais, a 15ª Plenária da Executiva Nacional da UGT, realizada dias 20 e 21 de agosto, em São Paulo, debateu temas relacionados às eleições municipais 2012 e ações da UGT até o final do ano, além das palestras sobre macro-economia e a conjuntura internacional e saúde dos trabalhadores. Os membros da executiva nacional fizeram uma avaliação sobre a conjuntura política nacional e atuação da UGT nas diversas frentes. A delegação paranaense, integrada por dirigentes sindicais de várias categorias, foi liderada pelo companheiro Leocides Fornazza, vice-presidente da UGT-PARANÁ e presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Maringá (filiado à UGT). Nos dois dias de encontro os dirigentes puderam interagir com lideranças da UGT de outros estados e trocarem experiências de atuação na política sindical. Durante a plenária mais sete sindicatos foram oficialmente filiados à UGT: sindicatos dos Cegonheiros de Minas Gerais e de São Bernardo do Campo, de Cargas de Guarulhos, de Carga Pesada de São Paulo e os sindicatos de Policiais Federais de Brasília, de Minas Gerais e de São Paulo.  O presidente da UGT, Ricardo Patah destacou a importância dessas novas filiações que contribuem de forma significativa para o fortalecimento da União Geral dos Trabalhadores. Ele lembrou ainda que a UGT vem promovendo diversas ações em defesa da classe trabalhadora. Entre essas ações Patah destacou  a campanha nacional pela redução das taxas de juros dos cartões de crédito e a preocupação da UGT em assegurar as conquistas e ampliar os direitos dos trabalhadores. A UGT-PARANÁ foi uma das estaduais mais citadas na plenária, servindo de exemplo em distintos momentos de discussão.  Dentre as lideranças paranaenses a secretária da Mulher, Elizabete Madrona, o presidente da Federação dos Empregados em Cooperativas, Clair Spanhol, o presidente da Federação dos Bancários Gladir Basso, o presidente do Sindicato dos Radialistas de Cascavel, João Riedlinger e o presidente do SINCOMAR, Leocides Fornazza, apresentaram sugestões para  áreas específicas de atuação da UGT. “A partir da nossa plenária estadual realizada em Guaratuba (PR), dias 19 e 20 de julho, elaboramos um documento que entregamos hoje ao presidente Ricardo Patah”, lembrou o vice-presidente da UGT-PARANÁ, Leocides Fornazza. Nesse documento a UGT no Paraná reforça a preocupação pelo fim do fator previdenciário, e pela manutenção da unicidade sindical. “Temos de ficar atentos às manobras do governo federal que quer implantar o pluralismo sindical sem ouvir as lideranças sindicais. Somos totalmente contra essa manobra dos poderes instituídos para acabar com a organização sindical no Brasil”, denunciou  Leocides. Ele lembrou ainda que a UGT vem discutindo temas relevantes no cenário da economia nacional e internacional. As UGTs estaduais vêm promovendo encontros e debates, fornecendo subsídios aos dirigentes sindicais para entenderem de fato o que acontece no Brasil e no mundo. Fonte: UGT-PR



Leia também: