Piso Regional do Paraná será o maior do país


sindbeto-002.jpgGovernador Beto Richa (E), com os dirigentes da UGT, Alexandre Donizete Martins e Paulo Sérgio dos Santos: consenso sobre o novo Piso Mínimo Regional.

Em reunião tripartite do Conselho Estadual do Trabalho, realizada na Secretaria do Trabalho, Emprego e Economia Solidária do Estado do Paraná, em 13/3, foi aprovado o índice de 7,34% de reajuste ao novo piso regional, a partir de 1º de maio/14.

Segundo o secretário do Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Luiz Claudio Romanelli, a comissão criada para debater o aumento do salário mínimo regional elaborou uma proposta bienal de valorização do piso regional do Paraná. “O piso do salário mínimo do Paraná continuará a ser o maior do país. Em um acordo inédito, com os representantes laborais e patronais, foram definidos os critérios para os reajustes de 2014 e 2015. O consenso, sem precedentes, é uma demonstração de maturidade e seriedade de empresários e trabalhadores e revela também a constante disposição do governador Beto Richa (PSDB) ao diálogo, buscando a conciliação do desenvolvimento socioeconômico com o bem-estar do trabalhador”, analisou Romanelli.

Para o representante titular da UGT-PARANÁ no conselho, Paulo Sérgio dos Santos, os novos pisos servirão como parâmetro para as futuras datas-bases das entidades sindicais. “Com esse índice (7,34%), teremos um ganho real de 1,69%. Com certeza, esse acordo fechado com o governo do estado e com as entidades patronais, balizarão as negociações coletivas das nossas entidades filiadas, conquistando aumento real para todos os representados”, disse Paulo Sérgio.

O acordo assinado  prevê ainda a forma de aumento para 2015. A partir do ano que vem, o governo do estado pretende adotar a mesma política do salário mínimo nacional – que aplica a inflação medida pelo INPC mais o crescimento do PIB do país. Com isso, segundo o texto do acordo, garante-se “a previsibilidade aos empregadores em termos de custo de trabalho”.

O piso regional do Paraná, a partir de 1º de maio, ficará distribuído por grupos da seguinte maneira: Grupo I: R$ 948,20 (Trabalhadores rurais, extrativistas, pescadores e trabalho agrícola); Grupo II: R$ 983,40 (Empregadas domésticas, vendedores em comércio, conservação, manutenção, reparação e escriturários; Grupo III: R$ 1.020,80 (Industriais, joalheiros, montadores e outros); Grupo IV: R$ 1.095,60 (Técnicos de nível médio de diversos setores).

Se compararmos com o salário mínimo nacional (R$ 724,00), veremos que  o piso regional do Paraná chega a ser R$ 371,60 acima do piso nacional na maior faixa (R$ 1.095,60).

O presidente da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi, fez questão de cumprimentar os membros do Conselho Estadual do Trabalho pelo fechamento do acordo. “Quero em nome de toda a direção da UGT, parabenizar o brilhante trabalho dos companheiros Paulo Sérgio dos Santos e Alexandre Donizete Martins, que representam a UGT no Conselho Estadual do Trabalho, e com muita dedicação e disposição, conseguiram juntamente com representantes de outras centrais, chegarem a esse acordo que beneficiará milhares de trabalhadores paranaenses que não possuem data-base”, disse Rossi.

Post: Mario de Gomes - 17/03/2014

Foto: Sindenel
 
Secretário de Comunicação

João Riedlinger

 




Leia também: