Começou a Campanha do Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantil


Com o lema “Você pode agir. Faça bonito: proteja nossas Crianças e Adolescentes” a Campanha de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil iniciou nesta segunda-feira (12) em Cafelândia, com uma mobilização de toda a comunidade local.

No dia 18 de maio, acontecerá a mobilização nacional da campanha, mas a Assistência Social do município já começou vários trabalhos nas escolas municipais, estaduais e particulares. Durante esta semana, até o dia 15, serão realizadas palestras de orientações na rede escolar, de acordo com a idade de cada criança e adolescente.


Já amanhã (16), durante todo o dia, haverá blitz em frente à Copacol, com distribuição de materiais educativos e de orientação, como informa a presidente do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), Elise Alves Tenfen.

Elise ressaltou que é importante os pais participarem com os filhos dos trabalhos que serão desenvolvidos ao longo da semana. “Infelizmente, muitos pais não tem esclarecimentos sobre o assunto. Às vezes o filho está sofrendo uma agressão ou violência na escola ou até dentro de casa e o pai não está percebendo o que está acontecendo. Na maioria dos casos o agressor é um familiar ou está bem próximo a família e sempre em contato com a criança e adolescente”, disse.

 Além disso, quando a vítima tem ações agressivas, mudança de comportamento, dificuldade na aprendizagem e dificuldade de concentração são alguns sinais de que os pais precisam ficar atentos e investigar para poder ajudar a criança. “Os pais conhecem o comportamento da criança, então fica mais fácil de notar as mudanças”.

Elise frisou ainda, que em vários casos não é somente o abuso sexual, mas há também a agressão psicológica, quando um adulto humilha verbalmente com ameaças, rejeição ou discriminação a criança ou o adolescente.

A presidente enfatizou que “a violência contra crianças e adolescente é um problema de todos. Os órgãos, setores da sociedade e cidadãos devem se unir para criar uma rede de proteção. Para isso, precisamos de uma coisa muito simples: a sua voz. Fale, grite, divulgue essa mensagem e, principalmente, denuncie a violência contra criança e adolescente”.

A campanha acontece todos os anos com o apoio das Escolas, CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), Secretaria de Assistência Social, CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), Prefeitura Municipal, Conselho Tutelar e Polícia Militar.


FONTE: Jornal Integração




Leia também: