PR é 3º melhor ambiente de negócios do país.


O Paraná subiu duas posições e chegou ao 3º lugar no ranking dos estados brasileiros mais competitivos e com o melhor ambiente de negócios do país em 2014, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. O levantamento foi elaborado entre os meses de abril de 2013 e 2014 pela consultoria britânica Economist Intelligence Unit, com patrocínio do Centro de Liderança Pública (CLP), e leva em conta 26 indicadores em oito categorias decisivas para a realização de negócios: ambiente político, ambiente econômico, regime tributário e regulatório, política para investimentos estrangeiros, recursos humanos, infraestrutura, inovação e sustentabilidade.

INFOGRÁFICO: Confira o ranking de Gestão e Competitividade

Metodologia

O Ranking de Gestão e Competitividade dos Estados Brasileiros avalia 26 indicadores que medem atributos específicos do ambiente operacional de negócios nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal. De acordo com a metodologia, quanto mais próximo de 100, melhor são as condições para negócios e investimentos nos estados brasileiros.

A melhora de indicadores como a renda média per capita, qualidade da rede de comunicações e da rede rodoviária do estado fizeram a pontuação do Paraná no ranking geral avançar de 59,5 pontos, em 2012, para 63,9 pontos neste ano. Com isso, o estado passou o Rio Grande do Sul, que manteve a 4ª posição, e Minas Gerais, que caiu do 3º para o 6º lugar no ranking. No topo, São Paulo e Rio de Janeiro mantiveram suas posições de 1º e 2º lugar, respectivamente.

De acordo com o levantamento, o Paraná tem o melhor ambiente econômico do país. O critério avalia o tamanho e o crescimento do mercado interno, renda per capita média e desigualdade de renda. Segundo o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), Gilmar Mendes Lourenço, alguns vetores importantes contribuíram para a melhoria do ambiente de negócios no Paraná, entre eles, a recuperação e ampliação da renda do agronegócio – com forte participação das cooperativas –, a vitalidade do mercado de trabalho e a recuperação da competitividade do estado com a atração e diversificação de investimentos. “A grande vantagem do estado é que o empresário sente que não vai haver uma ruptura de contratos, tem segurança para investir”, afirma.

De 2011 para cá, Infraes­trutura e Susten­tabilidade são as categorias nas quais o estado mais avançou, passando de 50 para 75 pontos em ambos os casos. Fundamental para o desenvolvimento de um bom ambiente de negócios, a infraestrutura subiu três posições no ranking.

Por outro lado, o pior desempenho do Paraná está na área de impostos e ambiente regulatório, que abrange indicadores como a consistência do sistema tributário e o tempo médio para a abertura de novas empresas, que mede o aspecto burocrático. Questões importantes como corrupção, burocracia, produtividade no trabalho, investimentos em pesquisa e desenvolvimento e abertura de novos negócios não apresentaram mudanças na pontuação de 2012 para cá.

Fonte: Jornal Gazeta do Povo
Post- Alexandre Drulla



Leia também: