Menino tem braço amputado após ser atacado por tigre em Cascavel.


O menino de 11 anos que foi atacado por um tigre enquanto alimentava e tentava tocar o animal no Zoológico de Cascavel, Oeste do Paraná, teve o braço amputado na altura do ombro logo após o incidente, nesta quarta-feira (30). Ele chegou em estado de choque no Hospital Universitário (HU) de Cascavel por volta das 17h45 e foi operado na sequência. Por volta das 20 horas, ele foi internado em um quarto comum da ala pediátrica da instituição hospitalar e já não corria mais risco de morte na manhã desta quinta-feira (31).

As informações sobre o estado de saúde da criança foram repassadas pela assessoria de imprensa do HU de Cascavel. De acordo com a entidade, o menino chegou consciente ao hospital, mas muito assustado, em estado de choque. Ele deve receber ainda um acompanhamento psicológico antes de ser liberado do hospital e não há previsão de alta. A assistente social já conversou com o menino e também com o pai, que foi liberado após prestar depoimento na Delegacia de Cascavel e está junto ao filho no hospital.

O menino, que visitava o local com o pai e um irmão, pulou uma grade de proteção, entrou em um espaço proibido para visitantes e foi atacado ao jogar um pedaço de frango para o animal. Ele tentou tocar o bicho, que aparentou estresse com a presença do menino.

Vanilce Oliveira, bióloga do zoológico, disse que o menino já havia alimentado um leão momentos antes do ataque - o que é proibido. Algumas pessoas fizeram imagens do momento em que o garoto tratava o animal. "O pai permitiu que a criança adentrasse uma zona proibida no zoológico, que é a área que mantém o afastamento do público com o animal", disse a bióloga.

Segundo Vanilce, o tigre é "extremamente dócil" e acostumado com o público, mas deve ter se irritado com a aproximação do menino. "É um animal acostumado com carinho do seu tratador, mas se irritou e provocou o acidente", disse.

Prefeitura diz que pai incentivou menino a alimentar o tigre

Em nota divulgada na tarde de quarta-feira (30), a Prefeitura de Cascavel defendeu que a equipe de cuidadores do zoológico constatou que “o menor [de idade] foi incentivado pelo próprio pai a correr em volta da jaula, dentro da grade de proteção, provocando o animal.” O órgão público relata que “o pai ignorou todas as placas de alerta de perigo e para evitar se aproximar do local e não ouviu apelos de quem o observava para cessar a brincadeira.”

A prefeitura diz que visitantes do parque gravaram a movimentação e avisaram os responsáveis do risco do comportamento do menino. “Em certo momento, o menino teria colocado o braço entre as grades, quando foi atacado pelo tigre. O Siate foi chamado e providenciou o atendimento e a remoção da criança ao Hospital Universitário, onde recebe os cuidados”, finaliza o texto, publicado no site da administração municipal.

Fonte: Jornal Gazeta do Povo

Post- Alexandre Drulla




Leia também: