Líder da rebelião na PEC já teria matado oito pessoas


Matéria: Catve
Post: Marilene B. Bergamo

 

Os dois presos apontados como líderes da maior rebelião no sistema penitenciário paranaense foram transferidos para Maringá, nesta terça-feira (26), quando se encerrou a ação violenta no presídio. 

Um dos "chefes" do motim seria o detento Washington Presence de Oliveira, de 28 anos, condenado a 80 anos de cadeia. Ele conversou com a imprensa na noite de ontem (25). O contato foi feito por Alessandro Meneghel que também está preso na Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC) e passou o telefone para Washington. 

Ele usou a palavra presidente em seu nome, mas foi confirmado como Washington Presence, e é considerado um bandido perigoso, já esteve preso na penitenciária de segurança máxima em Mossoró/RN e ele responde pelos crimes de latrocínio em Iporã, triplo homicídio em Terra Roxa, assalto em Altônia e porte ilegal de arma de fogo. 

Em 2009, Presence confessou ter asfixiado um colega de cela no interior da Penitenciária Estadual de Maringá (PEM). 

Outro líder do motim é Marcio Cassiano da Silva, conhecido como "Paulista" que também foi levado para a PEM em Maringá. 

Outros criminosos que lideraram a rebelião são Julio Cesar Gobetti, o "Pauladinha", e Anderson Claiton da Silva, o "De Menor", os dois tem 20 anos e foram condenados em fevereiro a 18 anos de prisão por homicídio. 

Em Maringá 

Washington Presence de Oliveira e Marcio Cassiano da Silva chegaram à Penitenciária Estadual de Maringá (PEM) e estão em celas separadas. Eles ficam na galeria de triagem por até 30 dias, porém a direção da unidade não descarta a possibilidade de isolamento. 

Segundo o diretor Vaine Gomes, desde 2009 o presídio não registra nenhum motim.

Washington Presence de Oliveira, líder do motim na PEC de Cascavel




Leia também: