Em assembleia, cooperários aprovam o novo índice de reajuste da categoria


 
Em assembleias realizadas hoje em todas as unidades produtivas abrangidas pelo Sintrascoop, os Cooperários, num total de 3.115 votos, aprovaram o reajuste de 1,7% nos salários e R$ 30,00 no vale alimentação, com base no novo reajuste salarial do Acordo Coletivo 2018/2019.
 
Após dias de muitas negociações entre o Sintrascoop e os representantes das Cooperativas, os quais travaram batalhas intensas para tentarem chegar a denominador comum a seus favores, o Acordo foi levado para apreciação dos Cooperários.
 
Assinalando dificuldades com o enfrentamento diante da política econômica do ano passado e na atualidade, as Cooperativas apresentaram dificuldades para atender aos anseios dos Cooperários.
 
Em momento algum, o Sintrascoop arredou o pé em atender às solicitações da categoria, procurando o tempo todo mostrar às Cooperativas as defasagens enormes que há entre a expansão da produção regional na atualidade e as perdas que os Cooperários tiveram diante do quadro.
 
Por outro, as Cooperativas admitem que houve crescimento, mas não poder de ganhos representativos como mostra o atual cenário econômico, alegando que os impostos governamentais e investimentos pesaram sobre os lucros reais, assim como os cortes severos ocorridos nas exportações.
 
Diante das alegações oferecidas por ambos os lados, o Sintrascoop observou a proposta final e a levou ao conhecimento dos Cooperários, para que estes decidam sobre os reajustes oferecidos.
 
"Este é o papel do Sintrascoop. Levar as propostas dos Cooperários às direções, lutar por elas da melhor forma possível e apresentá-las em assembleia geral. Nesta assembleia prevalece a vontade soberana da maioria dos Cooperários", informa Clair Spanhol, presidente do Sintrascoop.
 
Diante disso, ele entende que o Cooperário é quem definirá se as propostas apresentadas são boas ou não.
 
"Cabe ao Sintrascoop, como representante sindical, fazer as vontades dos Cooperários, em sua maioria. O Cooperário sabe das dificuldades econômicas pelas quais passa o país e tende a definir o que é mais justo para o momento", argumenta, Clair. 
 
Confira abaixo o resumo da votação da assembleia:
 
Total de votos coletados: 3.115 votos (100%)
Aceitação da proposta patronal: 2.355 votos (75,60%)
Dissídio Coletivo: 324 votos (10,40%)
Indicativo de greve: 373 votos (11,98%)
Nulos: 28 votos (0,90%)
Brancos: 35 votos (1,12%)
 
2018__assembleia2018_mat01.jpg
2018__assembleia2018_mat02.jpg
2018__assembleia2018_mat03.jpg
2018__assembleia2018_mat04.jpg
2018__assembleia2018_mat05.jpg
2018__assembleia2018_mat06.jpg
2018__assembleia2018_mat07.jpg
2018__assembleia2018_mat08.jpg



Leia também: