UGT-PARANÁ busca parceria com Ministério Público do Trabalho.


O presidente da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi e o Chefe da FUNDACENTRO no Paraná, Adir de Souza, fizeram uma visita ao procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho no Paraná, Dr. Ricardo Bruel. Além de convidarem a Procuradoria para participar do 2º Congresso Estadual da UGT-PARANÁ, que acontecerá nos dias 2 e 3 de março em Curitiba, o presidente da UGT-PARANÁ iniciou uma consulta buscando entendimentos sobre um termo de compromisso em relação a contribuição assistencial, normas de segurança no trabalho e a devida aplicação do piso mínimo regional do Estado. Paulo Rossi destaca q ue este termo, caso seja firmado, dará mais segurança jurídica às entidades filiadas. "Sabemos que algumas entidades abusam das taxas cobradas dos trabalhadores, mas isso não é via de regra. O que precisamos é separar o joio do trigo", destacou Rossi. Para o chefe da FUNDACENTRO e diretor da UGT, Adir de Souza, o documento a ser trabalhado em parceria com a Procuradoria Regional do Trabalho, tratará também da aplicação das normas de segurança e saúde no trabalho. "Queremos estimular o debate entre as classes patronal e obreira sobre as normas de segurança vigentes e que precisam ser aplicadas nos locais de trabalho. Muitos dos acidentes que acontecem atualmente poderiam ser evitados, caso houvesse uma fiscalização maior por parte dos agentes envolvidos", destaca Adir. Já o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho no Paraná, Dr. Ricardo Bruel, disse ser muito bem-vinda a ideia da UGT-PARANÁ em procurar soluções para as melhorias da classe trabalhadora. "O Ministério Público do Trabalho no Paraná vê as entidades sindicais como parceiras e como instrumento de fiscalização dos direitos dos trabalhadores. Tudo o que puder ser feito para melhorar a relação entre capital e trabalho, terá o apoio desta Procuradoria", destacou o procurador-chefe. Fonte: UGT-PR



Leia também: