Sindicato dos Trabalhadores em Cooperativas Agrícolas, Agropecuárias e Agroindustriais de Cascavel e Região
Notícias
Ministério da Economia

Clair Spanhol é nomeado membro do conselho curador do FGTS

O presidente do Sintrascoop Clair Spanhol, representante da União Geral dos Trabalhadores (UGT), é o novo integrante do Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (CCFGTS) para o mandato de dois anos.

A nomeação foi publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) de 5 de outubro, por encaminhamento de Portaria Pessoal nº 1901 da Secretaria Executiva do Ministério da Economia, datada de 2 de outubro de 2020.
Spanhol faz parte de uma geração de sindicalistas para quem o fator inovação é um elemento diferencial no resgate do trabalho de base da organização sindical.

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Cooperativas Agrícolas e Agropecuárias Agroindustriais de Cascavel e Região (Sintrascoop) e da Federação dos Trabalhadores em Cooperativas do Estado do Paraná (Fetracoop), Clair Spanhol é também um dos dirigentes da UGT paranaense.

O presidente da Fetracoop acredita que a nomeação representa o reconhecimento do esforço organizativo dos Cooperários paranaenses, que enobrece, mas indica maior responsabilidade na representação do conjunto da organização laboral na gestão desse patrimônio trabalhista, que é o FGTS.

O FGTS é constituído pelo total desses depósitos mensais e os valores pertencem aos empregados que, em algumas situações, podem dispor do total depositado em seus nomes.

O DESAFIO DA INOVAÇÃO
Apontada por ele como um dos pilares da UGT, a inovação sugere que as lideranças tenham de se reinventar a cada dia e cujo combustível é a aproximação com os trabalhadores que estão na linha de produção e exercendo funções dentro das empresas.

“Para cumprir o papel de que são investidos, os sindicatos devem ser a expressão real dos desejos das categorias profissionais”, adverte Spanhol, que defende a inovação como elemento positivo. Principalmente nesse momento de desemprego avassalador que castiga a remuneração dos trabalhadores empregados. O FGTS tem sido usado para auxiliar nos momentos de crise e de grandes catástrofes como mecanismo de proteção social. Finaliza Spanhol.